Pontes de Esparguete 2009

construir uma ponte de esparguete


inscrições
prémios
arquivo
organização

contactos

 

 

 

 

 

Regulamento Torres de Esparguete

 

 
  I - Definição 

Artigo Nº 1 - Objetivos

  1. Este concurso tem como objetivo que os participantes, recorrendo a esparguete convencional e a cola termofusível, em tempo útil, construam uma torre o mais alta possível sem comprometer a sua estabilidade, dando azo às suas capacidades criativas e conceptuais. Este trabalho visa fomentar o interesse dos alunos pela criatividade/investigação e pela procura de soluções engenhosas para os problemas propostos.

Artigo Nº 2 – Inscrição

  1. Poderá inscrever-se no concurso qualquer estudante normalmente matriculado no 9º, 10º, 11º, 12º ano como também estudantes universitários.
    As inscrições deverão ser efetuadas por equipas, sendo estas compostas no máximo por 3 elementos;
    A inscrição deverá ser feita por mail dirigido à organização, para o endereço dem@ubi.pt, até 3 dias úteis antes do evento, com o assunto “Inscrição Torres de Esparguete CHSPE2016”. Dos dados de inscrição deverão fazer parte a identificação dos participantes com nome completo, número ou nome da equipa, ano de estudo, turma e escola.
    Artigo Nº 3 – Data e Local

    O Concurso Humberto Santos Pontes de Esparguete – Categoria: Torres realizar-se-á no simultãneo com a categoria de Resistência das Pontes de Esparguete. As equipas deverão fazer a credenciação entre as 14h00m e as 15h00m sendo que às 15h00m terá lugar o concurso propriamente dito;
    O evento decorrerá na Covilhã, no Pólo das Engenharias da Universidade da Beira Interior (Calçada Fonte do Lameiro 6201-001 Covilhã).

Artigo Nº 3 – Data e Local

  1. O Concurso Humberto Santos Pontes de Esparguete – Categoria: Torres realizar-se-á no dia 30 de novembro. As equipas deverão fazer a credenciação entre as 14h00m e as 15h00m sendo que às 15h00m terá lugar o concurso propriamente dito;
  2. O evento decorrerá na Covilhã, no Pólo das Engenharias da Universidade da Beira Interior (Calçada Fonte do Lameiro 6201-001 Covilhã).

|| - Concurso

Artigo Nº 4 – Organização do Concurso
Do concurso farão parte uma pré-eliminatória e uma final.

  1. Fase pré-eliminatória
      1. Nesta fase serão selecionados 6 grupos finalistas;
      2. Passam à final as 6 equipas que em 40 minutos conseguirem, de acordo com este regulamento, erguer a torre mais alta.
  2. Fase final
      1. Nesta fase é determinada a equipa vencedora do primeiro lugar bem como as equipas classificadas nos segundo e terceiro lugar;
      2. Considera-se vencedora a equipa que, de acordo com este regulamento e em 60 minutos, consiga erguer a torre mais alta;
      3. Se alguma das equipas atingir a altura máxima do local antes do término do período do tempo, dá-se o fim da prova e é considerada a equipa vencedora.

Artigo Nº 5 – Qualidade e Características dos Materiais
Os materiais em uso em ambas as fases deverão seguir os seguintes parâmetros:

  1. Esparguete
      1. A torre deverá ser executada recorrendo apenas ao esparguete fornecido no dia do concurso, excluindo-se, portanto, o uso de outro tipo de massa;
      2. Este esparguete não poderá ser modificado/transformado devendo ser utilizado na forma em que é cedido às equipas;
      3. O uso de tinta, cola ou outro tipo de material para aumentar a resistência do esparguete não é permitido;
      4. As características do esparguete serão iguais para todas as equipas.
  2. Cola termofusível
  3. A cola a utilizar será cola termofusível, aplicada com o equipamento apropriado, ambos fornecidos pela organização no dia do evento;
  4. As características da cola e do respetivo equipamento de aplicação serão iguais para todas as equipas;
  5. Na fase pré-eliminatória será fornecida uma pistola de cola termofusível para cada equipa, enquanto que na fase final serão fornecidas duas pistolas de cola termofusível para cada equipa.

Artigo Nº 6 - Características da Torre

  1. A torre deverá ser capaz de se sustentar por si própria, não sendo permitido o uso de qualquer apoio complementar além do chão/ superfície de base;
  2. A torre não poderá ser colada a nenhuma superfície podendo, no entanto, ser utilizada uma folha de papel, fornecida pela organização, para servir de separação entre a torre e o chão/superfície de base. Esta deverá ainda ser estável o suficiente para se poder deslocar em caso de necessidade;
  3. A quantidade de esparguete a utilizar será de 250g, no entanto a organização poderá ceder mais quando solicitado;
  4. Só é permitida a aplicação de cola termofusível em uniões de barras e a espessura da mesma, depois de seca, não deverá exceder os 10 mm a partir das uniões do esparguete;
  5. Entre dois nós/zonas de união consecutivas não deverá existir mais do que um filamento de esparguete;
  6. A quantidade de cola a utilizar será de 3 tubos, no entanto a organização poderá ceder mais quando solicitado.

Artigo Nº 7 - Construção

  1. Antes do processo de construção todo o material deve ser verificado, as pistolas de cola termofusível deverão ser testadas e em caso de deteção de anomalias, estas deverão ser reportadas a um elemento da organização que as solucionará;
  2. A construção das torres deverá ser iniciada em simultâneo por todas as equipas, e cronometrada, para que a sua duração não exceda o tempo definido em cada uma das fases;
  3. Será emitido pela organização um sinal sonoro para o início da construção das torres;
  4. Um minuto antes do término do período de tempo de construção definido para cada uma das fases, será emitido um novo sinal sonoro após o qual as equipas deverão cessar a utilização das pistolas de cola termofusível;
  5. Findo o período de tempo estabelecido para cada uma das fases será emitido um novo aviso sonoro que deverá corresponder à cessação de qualquer tipo de contacto entre as equipas e as torres.

Artigo Nº 8 - Avaliação

  1. A avaliação das torres é feita após a sua construção, no dia do evento, por elementos da organização;
  2. A primeira etapa da avaliação consiste em verificar se estas cumprem o regulamento;
  3. Todas as torres que passem a primeira etapa serão medidas verticalmente desde o chão até ao seu ponto mais alto;
  4. É o resultado da medição referida no ponto anterior que determinará a apuração nas duas fases do concurso.

Artigo Nº 9 - Prémios

  1. Aos elementos da equipa vencedora serão atribuídos prémios monetários de valor a designar;

||| - Disposições Finais

Artigo Nº 10 – Desclassificações

  1. A organização reserva-se no direito de desclassificar qualquer uma das equipas participantes que não respeitem todos os requisitos do regulamento;
  2. Consideram-se ainda excluídas as equipas que interfiram fisicamente no desempenho das concorrentes.

Artigo Nº 11 – Reclamações

  1. Qualquer reclamação deverá ser transmitida por escrito à organização, que procederá, em ambiente próprio e tempo útil, à sua avaliação e resposta.

Artigo Nº 12 – Casos Omissos

  1. Qualquer aspeto que não esteja mencionado no regulamento será analisado e decidido pela organização, sendo a sua decisão irrevogável.